.: José Renato Sátiro Santiago Junior :.

Centro de Inteligência

Área utilizada para o compartilhamento de apresentações, artigos, textos e sugestões de livros relacionadas com boas práticas relacionadas com Gestão de Projetos, Processo de Inovação, Registro e Compartilhamento de Conhecimentos, Excelência em Gestão de Pessoas, Capital Intelectual e Ações que busquem o Desenvolvimento Sustentável a partir do desenvolvimento de atividades éticas, de menor custo, maior retorno e melhor Qualidade.

Combate ao Vício, Também é Educação

Autoria: Paulo Saab
A disseminação do uso de drogas entre os jovens é também uma questão de educação. Tanto da juventude, a partir da mais tenra idade, quanto da própria sociedade.
Em nosso país, infelizmente, onde os desvios culturais remanescem à própria origem, a preocupação com o processo educativo, de modo geral e específico, é quase nula. Vivemos uma época de permissividade e tolerância exacerbadas,onde, até um comentário como este, pelo patrulhamento das minorias radicais, corre o risco de ser chamado de reacionário ou burguês.
Num contexto de inversão dos valores, a educação que nunca teve no Brasil prioridade alguma, tem estado ausente na formação das novas gerações. Não sendo especialista na área de criminalidade jovem, concluo, todavia, que a ausência de referencias positivas, de lares tradicionais e de orientação educativa, são fontes da ampliação do uso de drogas pelos jovens em todo o Brasil.
A porta de entrada é o álcool, seguido da maconha. Por ai iniciam os fracos, desorientados, deseducados, desestruturados, sua caminhada no vício. Para isso concorrem os maus empresários que vendem cigarros e bebidas proibidas à revelia dos pais, da lei. Uma esperança de melhoria, no estado de São Paulo surge no horizonte se tivermos a sorte de ser uma daquelas leis que pegam. Só em nosso país existe a lei que pega e a que não pega. Os jurisconsultos romanos reviram nas tumbas só de ouvir menção a isso.
O deputado estadual Cauê Macris (PSDB) apresentou Projeto de Lei na Assembléia paulista que cria mecanismos para que o Governo de São Paulo possa efetivamente punir estabelecimentos comerciais que vendem bebidas alcoólicas para menores de 18 anos. Além de multa, o projeto prevê a cassação do registro do ICMS do comércio que desrespeitar a legislação. Os 500 agentes da Lei Antifumo também devem ser treinados para exercer este tipo de fiscalização.
De acordo com o deputado, a proposta pretende fechar o cerco a venda de bebidas para menores em São Paulo. “Vender bebida para menores é um crime e continuará sendo. Com a aprovação da proposta, além de responder para a Justiça – conforme determina a legislação atual – criaremos em São Paulo um mecanismo para que o Estado haja efetivamente, com a adoção de medidas administrativas”, explicou o parlamentar.
O projeto estipula multa de 2000 Ufesp para estabelecimentos que vendam bebidas para menores, sendo dobrada em caso de reincidência, suspensão de funcionamento e até cassação do registro do ICMS, que fecha definitivamente o comércio. A proposta prevê a utilização dos agentes da Lei Antifumo para ajudar na fiscalização.
Educar pela multa é também forma de melhorar o comportamento. Infelizmente o país precisa disso em todos os níveis.
Mas precisamos acima de tudo educar nossos políticos, nossos homens e mulheres da vida pública, para terem um comportamento honesto, probo, voltado para as reais necessidades de estruturação sadia da Nação. E isto tudo passa pela educação. Em sua ausência, toda forma de infração, de desvio, de vicio, de corrupção, ocupa o espaço existente.
Um projeto punitivo, em defesa dos menores em seu encaminhamento ao vicio e ao crime, merece a atenção de todos e o aplauso da sociedade.
Sendo o que somos, vamos ver no que vai dar.